user_mobilelogo
  1. 1* etapa leva dois motards portugueses de Lisboa a Luanda

O projeto solidário Volta a África 2017 foi hoje apresentado e fez a sua partida simbólica da Marina de Cascais enquadrado pelo evento Yamaha Experience que ali está a decorrer numa iniciativa da Yamaha Motor Portugal. Esta aventura pensada por Victor Moniz, João Oliveira e Rui Vieira, arranca já amanhã dando inicio à primeira etapa desta longa maratona.

Joana Barbosa e Sofia Mouta cumpriram por completo o objetivo traçado para o Vodafone Rali de Portugal, pois conseguiram atingir o final da prova em termos nacionais.

Tratava-se do maior desafio até agora que a dupla de Braga tinha pela frente, apesar do rali pontuável para o Campeonato Nacional terminar ao fim de 12 das 19 classificativas. Uma prova extensa e muito complicada, segunda em pisos de terra, onde o objetivo traçado foi conseguido com o quarto lugar no Grupo RC4 e nono lugar em termos gerais: “Correu bem, apesar das muitas dificuldades, pois apanhámos os troços muito destruídos. Este foi o nosso segundo rali de terra, e foi um desafio completamente diferente. Tinham-nos dito muitas coisas sobre a prova, mas foi muito pior do que imaginámos”, começou por dizer Joana Barbosa, que focou depois algumas dificuldades: “Tivemos um problema no primeiro dia de prova, pois batemos numa pedra e a roda recuou, mas controlámos para terminar e, sobretudo, para passar por Braga, onde gostámos muito de lá passar, naturalmente”.

Foram vários os pilotos que o previram. A segunda passagem por Ponte de Lima foi decisiva. Enquanto uma secção da manhã ficou marcada por uma concorrência com muita imprevisibilidade, a tarde ficou marcada como uma forma como equipas com a capacidade de gerir os pneus e adequar o andamento para as condições mais duras dos troços.

Hayden Paddon começou, tal como de manhã, um vencer. Mas o que mais beneficiou da segunda passagem por Viana do Castelo foi Kris Meeke, que passou para a frente à frente de Jari-Matti Latvala, que prefere poupar os pneus para o troço mais longo.

Depois de em Janeiro ter cumprido com sucesso mais uma participação no Rali Dakar, a grande maratona sul-americana de todo-o-terreno,  Hélder Rodrigues está, por estes dias, a acompanhar a par e passo a jornada do mundial de ralis que se está a desenrolar em Portugal.

No início da derradeira passagem pelo trio de classificativas minhotas desta primeira etapa do Vodafone Rally de Portugal, nova mudança de líder no final de Viana do Castelo 2, com Kris Meeke a ascender ao primeiro lugar, por troca com Jari-Matti Latvala.

Não correu bem o dia a António Félix da Costa, que abandonou hoje em Paris, na 6ª corrida da temporada da Fórmula E, numa altura em que lutava por um lugar dentro dos pontos. O piloto Português tinha boas aspirações para esta corrida mas um acidente com o Brasileiro Lucas di Grassi pôs fim à corrida de AFC.

Jari-Matti Latvala (Toyota Yaris) terminou a primeira passagem pelas classificativas minhotas de Viana do Castelo, Caminha e Ponte de Lima no comando do Vodafone Rally de Portugal, mas com uma forte concorrência a manter-se muito perto. No troço mais longo (27,46 km) da jornada, Ponte de Lima, Kris Meeke (Citroen) foi pela primeira vez o mais rápido e fê-lo de tal maneira que reduziu a sua distância para Latvala a… 0,5 segundos. O elevado nível competitivo deste Mundial, com a chegada dos novos WRC em 2017, está a confirmar-se na prova organizada pelo Automóvel Clube de Portugal, com uma “guerra” ao décimo de segundo.