user_mobilelogo

Apesar do 4º lugar, mercê dos problemas mecânicos que o afetara, Carlos Fernandes selou o triunfo no Desafio Kumho Asfalto 2018.

Fernando Peres e José Pedro Silva, aos comandos do seu Mitsubishi EVO IX, regressaram às vitórias no Desafio Kumho, depois de terem triunfado em Fafe, na prova inaugural da temporada.

O furo sofrido na segunda especial, que lhes custou praticamente um minuto afastou-os da luta pela vitória absoluta no rali mas, uma vez mais, provaram toda a sua valia, bem refletida no extenso e invejável palmarés.

Caíram aí para 2ºs do DKP mas encetaram uma forte recuperação que os levou ao comando a quatro especiais do fim, levando a vitória para casa.

Ainda com pior fortuna esteve Carlos Fernandes. Tendo novamente a seu lado Valter Cardoso, o rápido piloto de Sintra começou por liderar.

A exemplo de Peres, a dupla teve problemas no segundo troço do rali, quando a caixa de transferências do Mitsubishi cedeu, obrigando a equipa abandonar.

Com o carro reparado de madrugada, regressaram em Super Rali e ao ataque.

Mas sofreram um toque na PEC9, danificando a traseira do Mitsubishi EVO 6, o que não os impediu de vencer à geral quatro dos últimos cinco troços do rali, sendo a dupla que mais especiais venceu na prova do CAST.

Apenas 4ºs no Desafio Kumho Portugal, saíram mesmo assim de Viana a conquista do título Kumho Asfalto, mercê das vitórias nos ralis de Ourém, Santo Tirso e Vidreiro.

Excelente prova da dupla Gaspar Pinto/António Duarte.

O 2º lugar final no DKP resultou de um andamento muito vivo que lhes permitiu passar mesmo pelo comando da competição, herdado de Carlos Fernandes após a 2ª PEC, classificativa onde Pinto foi mesmo o melhor dos Kumho.

Mesmo não conseguindo suster os ataques de Fernando Peres e tendo também furado, a dupla do Mitsubishi EVO VI subiu ao pódio no segundo degrau, a 55,2 segundos dos vencedores e consolidou o 3º lugar na geral Master e na geral Asfalto do Desafio. Estão a realizar uma excelente época.

O 3º lugar foi assegurado por Cláudio Ornelas e Miguel Castro. Foi a sua estreia no Desafio Kumho e, sempre muito regulares aos comandos do Lancer EVO, almejaram saborear um pódio. 1m47,9 foi a diferença que os separaram da frente no fecho do rali.

Uma referencia para a participação entre as duas rodas motrizes de duas equipas equipadas com pneus Kumho. Nuno Alves e José Vieira levaram o seu Citroen AX a um excelente 14º posto da geral. Sempre muito rápidos subiram ao pódio do Grupo X1 e da Classe 9.

Também em Citroen AX, Rui Antunes/Bruno Teixeira concluíram na 40ª posição da geral e dentro do Top 10 do seu Grupo.

A 1 e 2 de Setembro, a temporada Kumho de asfalto tem o seu epílogo no Constálica Rali de Vouzela.

peres