user_mobilelogo
Nuno Antunes voltou à carga e venceu, pela segunda vez, o Rali Bridgestone / First Stop, após a estreia, em 2016, na subida ao lugar mais alto do pódio, e um segundo lugar conquistado no ano transacto. Nuno Antunes, em Mini, realizou a prova em 39,053 segundos, com apenas 28 centésimas de diferença de Francisco Carvalho, em 1275 GT, que já venceu este rali por nove vezes. Araújo Pereira, em Skoda Fabia, conquistou o terceiro lugar do pódio, realizando a prova em 41,635 segundos.
A 22ª edição do rali turístico desportivo, que decorreu de 29 de Junho a 1 de Julho, marcou os 30 anos deste encontro de representantes das marcas automóveis, pilotos, organizadores e jornalistas e contou com a participação de 45 equipas e um total de 120 pessoas, das quais 19 completaram a prova de maneabilidade que decorreu no sábado à tarde, junto ao mercado municipal.
As melhores prestações femininas foram as de Olga Marlene Pereira, em Peugeot, que cumpriu o percurso em 59,137 segundos, e foi imediatamente seguida de Teresa Reis, em Mercedes, (59,790 seg) e Bianca Bessa, em Fiat (01’03,924).
As subidas ao pódio dos melhores classificados foram feitas com o espumante em garrafa magnum de Figueira de Castelo Rodrigo, sendo que todas as equipas receberam troféus Spal de participação no almoço de encerramento. Presença forte também a da Comissão Vitivinícola Regional da Beira Interior, que realizou uma prova de vinhos do agrado de todos.
Como habitualmente, as marcas realizaram uma acção de entretenimento para os participantes, desta vez uma acção conjunta de competição entre Renault, Ford e Bridgestone /First Stop, na qual as equipas foram desafiadas a puxar pela criatividade e conhecimento sobre vocabulário da língua portuguesa. No “Conhecimento em Velocidade” saiu vencedora a marca Bridgestone / First Stop.
Na prova de maneabilidade, não faltaram as mais inusitadas participações, nomeadamente Pedro Gil, em táxi, e André Coelho, a substituir o pai, ao volante de um pequeno Ferrari eléctrico. A boa disposição e as brincadeiras são, aliás, características de tradição deste rali, o que foi confirmado por Pedro Machado, presidente do Turismo do Centro de Portugal, que também alinhou à partida.
No Rali, os participantes realizaram ainda um percurso de estrada que ligou os concelhos da Guarda e de Pinhel, conheceram o pálio de ouro de Cidadelhe que em breve passará a ter espaço próprio de visita, e visitaram o Museu Municipal de Pinhel. Não faltaram ainda ofertas que são sempre bem acolhidas pelos participantes, nomeadamente da BP, Câmara da Guarda e Turismo do Centro.
O Rali teve como patrocinador oficial a Bridgestone e a First Stop. Contou ainda com o apoio da BP, Valorpneu, SPAL, Renault, Ford, Comissão Vitivinícola Regional da Beira Interior e Adega de Figueira de Castelo Rodrigo, além da parceria institucional do Turismo do Centro de Portugal, Municípios da Guarda e Pinhel, Natura IMB Hotels e Hotel Palácio Estoril.
 
5 Rali Guarda 2018 0975